sábado, 6 de setembro de 2008

Republicanos

Que grande escolha para vice-presidente. Uma bimba extremista e a dar-se aos ares de celebridade. Uma espécie de Obama com menos provas dadas (e se eles já se queixavam da falta de experiência do Obama...). Uma tentativa de piscar os olhos ao eleitorado feminino que é capaz de falhar por uma razão: a Hillary Clinton chegou onde chegou por mérito próprio, teve de o conquistar. As pessoas já a conhecem de há muito, sabem da sua carreira. A candidata a vice-presidente dos republicanos era uma desconhecida do público. De certa forma o lugar caiu-lhe do céu, devido à necessidade que republicanos têm de conquistar os eleitores de Hillary. Mas dá a ideia de que para os mesmos republicanos... qualquer mulher serve. Todo o contrário de Hillary, portanto, que teve sempre de lutar. Quem admira Hillary é capaz de não gostar muito de arrivistas...

PS: Este é daqueles típicos comentários que têm prazo de validade muito limitado. Vaticínios políticos valem menos ainda que as previsões do tempo.

2 comentários:

andré disse...

Peço desculpa, mas dizer que uma mulher que já foi mayor, que é governadora de um estado e que, vendo bem as coisas ainda é nova, não tem currículo e é uma arrivista é, no mínimo, um overstatement. Quanto à Hillary, trabalhou durante anos num escritório de advogados, foi senadora... Acho que para um cargo executivo, como o de VP, contará mais experiência executiva, coisa que a Hillary não tem, ou ser primeira dama conta como experiência executiva?
Eu li o discurso da Sarah Palin na convenção republicana, admito que não tenha sido ela a escrevê-lo, mas achei-o muito bom, pelo menos quando comparado com estilo retórico-flamboyant do Obama.

/me disse...

Ela é governadora do Alaska há pouco tempo. Antes disso foi "mayor" de uma pequena povoação de 7000 pessoas, tanto quanto entendo. E tem o discurso bacoco anti-intelectual próprio dos republicanos na ponta da língua. Para ser presidente dos EUA é muito curto. A Hillary já correu mundo, e teve bastante experiência executiva como primeira dama sim (por mérito próprio foi uma figura importante do governo Clinton). De resto, o que me irrita em Palin é que ela parece uma soma de estereotipos. Todos os defeitos que os republicanos apontam a Obama, diria que Palin tem a multiplicar por muitos. E as qualidades que lhe apontam ao Obama são imputados como defeitos.